CarWorld

Notícias de Carros, Revisões de Especialistas, fotos, vídeos e Guias de Compra

Concessionárias Honda nos Estados Unidos podem atender veículos elétricos Sony-Honda, diz o CFO


TÓQUIO – Os revendedores Honda nos EUA provavelmente terão uma mão na manutenção, mas não na venda, da nova onda de veículos elétricos da nova joint venture da empresa com a Sony.

Esta é a mensagem dos executivos da Honda na sede no Japão.

Falando sobre o anúncio dos resultados financeiros da empresa na quarta-feira, o CFO Kohei Takeuchi disse que o modelo de vendas será completamente novo, ecoando as primeiras conversas sobre uma abordagem online.

“Será algo não convencional, não Sony, não Honda, mas algo novo”, disse ele.

Takeuchi disse que o plano de vendas e serviços ainda está em discussão. Mas ele acrescentou que a Honda tem uma rede de mais de 1.000 revendedores americanos que estão bem posicionados para consertar carros novos.

A Honda e a Sony delinearam planos no mês passado para entregar os primeiros veículos elétricos da joint venture para clientes dos EUA na primavera de 2026. A nova parceria, chamada Sony Honda Mobility Inc., construirá os veículos no centro de fabricação de veículos elétricos. Ohio.

Os revendedores da Honda nos EUA levantaram questões sobre o novo empreendimento, dizendo que queriam uma parte da ação.

Takeuchi disse que a América do Norte é um elo fraco emergente nos planos de recuperação global da Honda.

A contínua escassez de semicondutores especificamente necessários para o pequeno carro Civic e crossover CR-V forçou a montadora japonesa a reduzir suas previsões de vendas regionais.

Enquanto isso, a empresa diz que as conversas sobre inflação e recessão nos EUA provavelmente afetarão o sentimento do mercado. Por enquanto, a Honda acredita que a demanda continua forte por seus veículos, em grande parte graças ao fato de que a produção reduzida reduziu o estoque.

Mas Takeuchi alertou que a desaceleração da economia é um risco a ser observado.

A Honda está tendo problemas para encontrar chips específicos necessários para Civic e CR-V na América do Norte, duas das placas de identificação mais populares da empresa.

As perspectivas para os Estados Unidos foram reduzidas

Citando o fornecimento de chips crimpados, a Honda reduziu suas perspectivas de vendas na América do Norte em 135.000 unidades no atual ano fiscal encerrado em 31 de março de 2023. Agora espera que as vendas na América do Norte totalizem 1,26 milhão de veículos para o período de 12 meses, uma queda de 2,2% em relação o ano fiscal anterior.

“O pior do período já passou”, disse Takeuchi sobre a crise global de semicondutores. “Mas ainda há escassez de aplicações específicas.”

A avaliação de Takeuchi veio quando a controladora Honda Motor Co. divulgou os resultados financeiros do segundo trimestre fiscal encerrado em 30 de setembro. Impulsionada por grandes ganhos cambiais, a Honda disse que o lucro operacional aumentou 16%, para 231,2 bilhões de ienes (US$ 1,60 bilhão) no período.

A escassez contínua de semicondutores e os bloqueios relacionados à pandemia na China reduziram a produção. E os custos mais altos das commodities erodiram os lucros.

Mas as taxas de câmbio vantajosas ofereceram uma grande vantagem para a montadora japonesa No. 2.

O enfraquecimento dramático do iene em relação ao dólar americano e outras moedas adicionou 89,0 bilhões de ienes (US$ 615,9 milhões) ao resultado final no período de julho a setembro. Os ganhos cambiais compensaram o declínio das vendas e o aumento das despesas para levar a Honda a um aumento trimestral nos lucros.

O enfraquecimento do iene em relação ao dólar americano fortalece o valor dos lucros repatriados para o Japão. A moeda perdeu 28% de seu valor em relação ao dólar desde 1º de janeiro.

As receitas bateram recorde no período. Mas porque foi alimentado por taxas de câmbio, não por vendas de unidades, o diretor de operações Eiji

Fujimura disse que o recorde não era motivo de orgulho.
O lucro líquido subiu 14%, para 110,9 bilhões de ienes (US$ 767,4 milhões) em relação ao ano anterior.

As vendas mundiais aumentaram 5,8% para 970,00 veículos no trimestre. As entregas norte-americanas caíram 14% para 275.000 veículos, enquanto o volume europeu caiu 21% para 22.000.

Perspectivas levantadas

Devido ao enfraquecimento do iene, a Honda também elevou as perspectivas para o ano fiscal completo que termina em 31 de março de 2023. Agora espera lucro operacional e lucro líquido maiores do que o previsto anteriormente.

Espera-se agora que o lucro operacional total do ano fiscal seja amplamente igual ao do ano anterior em 870,0 bilhões de ienes (US$ 6,02 bilhões). O lucro líquido aumentou 2,5% para 725,0 bilhões de ienes (5,01 bilhões de dólares). A perspectiva melhorada também ocorre quando a Honda corta suas previsões de vendas.

A Honda cortou 100.000 veículos de sua previsão para todo o ano fiscal global para 4,1 milhões, devido à falta de peças. Mas a revisão ainda marca um aumento de 0,6% em relação ao resultado do ano anterior.



Source link